Um amigo tirou a minha virgindade

Um dias desses, era feriado. Eu recebo uma solicitação de amizade, de um moço que tinha me elogiado um dia antes, o mesmo elogiou minha boca. Ele me chamou no Facebook e nós começamos a conversar, ele me reconheceu e eu confirmei que era a mesma menina que ele tinha elogiado na rua. Minutos de conversas e ele me convida para ir na casa dele e eu aceitei (não era de minha pessoa aceitar convites para sair no mesmo dia, eu sempre fazia um showzinho, mas aceitei por puro 5 minutos de coragem insana). Tomei banho, me arrumei, coloquei uma roupa ok e fui. Confesso que eu estava com um peso na consciência enorme, ele era 7 anos mais velho que eu e eu ainda era adolescente, mas também eu mal tive malícia em transar com ele, já que eu era virgem.

Disk Sexo

Chegando lá, chamei-o e me atendeu. De cara, fiquei com receio de mãe e irmão achar ruim, ele me disse que não tinha problema, o quarto dele não precisava passar pela casa e era o primeiro cômodo ao lado de uma garagem. Eu entrei no seu quarto e começamos a conversar, ele me dizia o que gostava de fazer e eu olhava atentamente as expressões que o mesmo fazia. Ele começou a falar da minha boca e eu ficava muito envergonhada. Logo ele se aproximou e me beijou, foi muito rápido, foi quase um cumprimento ao chegar no seu quarto. Nós conversamos muito, trocamos muitas ideias e ele me forçou a sair do chão (eu estava no chão por comodidade, rs ) e me colocou na cama, me esticando em todo o comprimento de sua cama. Ali, ele tinha total visão do meu corpo.

Ele se deitou por cima de mim e começamos a se beijar, eram deslizes de mãos, beijos longos, molhados e demorados. Rapidamente, consegui sentir seu sexo latejando no vão das minhas pernas, ele roçava seu sexo em mim, confesso, não resisti e comecei a acompanhar a cintura dele com a minha. Estava tão duro, me subiu um fogo rapidamente. Ele levantou minha blusa e subiu meu sutiã e começou a chupar meu seio esquerdo, eu não neguei gemido, gemia baixo, porém perto de sua orelha isso fazia ele enlouquecer. Ele reveza cada seio e eu ia gemendo cada vez mais longo. Ele abaixo minha calça um pouco e quando viu a cor da minha calcinha vermelha ficou louco, eu neguei com a cabeça e ele voltou ao meu ouvido e perguntou:

– Você é virgem?

Eu respondi:

– Sim, sou.

Era a resposta que precisava para aumentar o fogo dele, ele disse que não iria me machucar, mas continuei a negar com a cabeça. Ele tirou a bermuda que estava e ficou só de cueca. Começou a um vai e vem delicioso em cima de mim, com a própria cueca mesmo. Ele tinha um jogo de cintura maravilhoso, ele tinha uma coordenação dos Deuses. Ele abaixou minha calça rapidamente, mal consegui reagir e ele começou a me tocar, eu comecei a subir para um grau no qual eu já mal raciocinava. Ele tirou o dedo delicadamente e eu puxei a sua mão e coloquei na minha boca, chupava o dedo dele com uma vontade. Ele pediu para que fizesse o mesmo só que no pau dele, eu pedi para ele sentar e comecei a chupa-lo, ele delirava, sussurrava e gemia. Ele colocou a mão na minha buceta e percebeu o quão estava molhada.

Retornou a me tocar, eu não me segurei. Pedi para o mesmo parar e sentei por cima dele, encaixando seu pau na minha buceta e fui rebolando e cada vez mais eu descia. Era uma dor muito gostosa, ele mal acreditava que estava tirando minha virgindade. Fiquei de costas para ele e rebolava, do rápido ia para o lento e ele só olhava e me batia na bunda e colocava pressão na minha cintura.

Ele me colocou de 4 e disse que queria ter o comando, ele socava tão forte em mim que eu não tinha mais mente para pensar em outra coisa, além de rebolar conforme ele seu vai e vem dele.

Ele anunciou que iria gozar, comecei a chupá-lo e ele gozou na minha boca, deitamos novamente e ficamos 20 minutos nos acariciando. Já era tarde, lembrei que disse a minha mãe que iria fazer trabalho e voltava cedo, me despedi dele e ele soltou um:

‘’Eu amei ter passado essa tarde contigo, quero de novo.’’ E soltou risadas, eu sorri tímida e fui embora.

Deixe um comentário