Traindo meu namorado chupando vários

 

Olá, dessa vez vou contar sobre o dia em que eu me passei por bêbada e deixei vários caras se aproveitarem de mim.
Meu nome é Michele! Por um certo motivo, não vou dizer minha idade exata, mas digo a vocês que sou novinha e tenho por volta de 18 aninhos rsrs.

Já escrevi minhas aventuras em outro site, mas achei esse o melhor de todos e quero compartilhar com vocês agora.

A história que vou contar, aconteceu há um certo tempo, porém, sempre tive o hábito de escrever minhas “aventuras” em um diário, por isso vou conseguir detalhar muita coisa.

Antes, deixa explicar como sou.

Sou branquinha, tenho cabelos bem pretos e liso, 1, 65 de altura e sou muita linda de rosto, confesso que tenho carinha de menina safada. Já ouvi muito isso.

Sempre chamei muita atenção dos homens, desde muito novinha. Tenho seios médios para grandes, durinhos e empinados. Meu quadril largo e cintura bem fininha fazem um contraste impecável! Meu bumbum é grande e empinado, redondinho! Minhas coxas são grossas firmes, malhadas… Sou um tesãozinho. Sempre tive um corpo mais desenvolvido e muito mais chamativo do que a grande maioria das meninas.

Bom, vamos ao conto.

Eu tenho um namorado de longa data chamado Eduardo. Ele é lindo, 1, 87 de altura, é 5 anos mais velho do que eu, moreno de olho verde, sarado de academia (foi na academia que eu o conheci), e faz muito sucesso com as mulheres. Namoro ele desde meus 15 anos e sou muito ciumenta. Já brigamos muito por causa de ciúme e traição. Já nos separamos e voltamos, já trai e fui traída por ele.

A historia que vou contar pra vocês aconteceu quando agente tinha um ano e meio de namoro. Meu namorado fazia faculdade e nós fomos em uma festa universitária em uma chácara. Eu já tinha curtido festas universitárias antes com ele. Já tinha traído ele em festas assim também. Esse tipo de festa rola muita bebida, safadeza, bagunça, pegação, etc.
Edu pediu pra mim ir bem gatinha, quando ele dizia isso, eu me vestia como uma perigueti. Ele adora desfilar comigo me exibindo como o troféu dele. Ele adora ver que todos os homens estão babando em mim, me comendo com os olhos, querendo meu corpinho tesudo e perfeito. Então, vesti uma mini saia amarela muito curtinha, e um tomara que caia branco que deixava meus seios duros e empinados querendo pular para fora.

Quando sentei ao lado do Edu no carro dele pra irmos a festa, percebi o quanto minha saia tava curtinha e o quanto eu tava gostosa com aquela roupa. Minhas coxas grossas e gostosas estavam demais. (muita academia e boa herança da minha mãe). Edu começou a brincar comigo enquanto ele dirigia, pedindo pra mim abrir as pernas e mostrar minha bucetinha carnuda e lisinha pra ele. Eu tirei a calcinha e fiquei me exibindo pra ele. Logo ele colocou o pau pra fora, e eu cai de boca. Chupei o pau enorme e grosso dele até ele gozar na minha boca. Bebi tudinho e fiquei toda melada e cheia de tesão, com gostinho de quero mais na boca.

Ao chegarmos na festa, descemos do carro e eu disse pra ele que não iria vestir minha calcinha. Ele aceitou disse que iria lhe dar tesão saber que eu estava sem calcinha e pediu pra mim tomar muito cuidado. A festa estava demais. Muita gente linda, muitos homens sem camisa, muitas garotas semi nuas, musica alta e por aí vai.

Meu namorado começou a beber muito e eu também. Encontrei uma garota chamada Beatriz, ela é um ano mais nova que eu e vem nessas festas com a irmã mais velha dela. Eu já conhecia ela pois nos encontramos em outras festas da mesma galera. Foi a Beatriz ( vou chamá-la de Bia) e sua irmã Ana Paula que me fez trair o Edu em outras festas. Elas são putinhas, apesar da Bia ser bem nova, até mais nova do que eu e apesar da Paulinha namorar. Elas são muitas safadas. Ana Paula (Paulinha) é linda, tem a idade do meu namorado, mas nem ela e nem a Bia são amigas dele.

Eu e Edu estávamos bem animados por causa da bebida, e nessas festas nós não ficávamos juntos o tempo todo. Então saí pra dar uma volta com a Bia. Ela é loirinha, tem os seios bem grandes pra idade dela, baixinha, olhos azuis, bumbum redondinho, muito linda! Estava usando um shortinho jeans curtinho branco, muito justo. Suas coxas gostosas ficava toda fora. O shorts estava enfiado no meio do seu bumbum, chamando muita atenção. Ela usava também uma blusinha bem decotada, deixando bem a mostra seus lindos seios. Notei que com frequência, Bia mexia no seu celular. Pensei que ela estava em alguma rede social, sei lá, não dei importância.

Eu e Bia andamos pela festa, mas sempre por perto do meu namorado, eu queria ficar de olho nele. Mas aconteceu de eu começar a beber demais, e acabai não ligando mais em ficar olhando o Edu.

Eu e a Bia começamos a dançar, curtir, e receber cantadas dos rapazes da festa. Toda hora a Bia chamava minha atenção devido ao comprimento da minha saia, meu bumbum aparecia o tempo todo. Ao andar pela festa, passávamos por lugares apertados e com muita gente.

Nessa hora, a gente tomava muito amasso e mão boba, o que me dava muito tesão. Eu estava sem calcinha e sentia a mão daqueles rapazes estranhos esfregarem minha bucetinha e meu bumbum por baixo da saia.

Certo tempo depois, disse a Bia que precisava ir ao banheiro, entramos juntas e trancamos a porta. Eu e ela começamos a comentar sobre as passadas de mão que levamos. Contei pra ela que estava sem calcinha e que os rapazes conseguiram esfregar minha bucetinha. Bia deu um sorriso e fez cara de tarada dizendo: “Você está sem calcinha?! Duvido! Me mostra!”
Eu ergui minha micro saia e ela viu minha bucetinha depilada, lisinha.

Bia disse sorrindo: “Sua safada! Seu namorado sabe que você está assim?”.
Respondi pra ela que o Edu sabia, que eu havia tirado a calcinha no caminho para festa pra provoca-lo. Bia ficou empolgada com o que eu contei, ela fez mais perguntas sobre o que rolou no caminho pra festa e eu contei pra ela que fiz um boquete bem gostoso no Edu.

Então, ela me perguntou: “E ele chegou a gozar?” Eu disse que sim balançando a cabeça e dando um sorriso safado. Bia gostou e disse “E ele gozou na sua boca?” “aham!” Respondi, afirmando que sim.

Bia então disse: “Que delicia, fiquei com vontade.” Ela ainda me alertou: “Eu não reparei em você, mas com certeza você mostrou muita coisa na hora que agente estava dançando! Não acredito que estava sem calcinha menina, achei que só seu bumbum estava aparecendo, mas com certeza você mostrou bem mais dançando daquele jeito” Respondi pra ela: “Tomei tanta passada de mão que fiquei molhada Bia.” “Seu namorado não te fez gozar também?” Ela me perguntou. Respondi que não. Bia então pegou o celular e começou a mexer de novo, enquanto me dizia: “Ah não! Fiquei com vontade! Ta na hora da Bia aqui atacar, você vem comigo?” Eu sorri e disse: “Ai menina, o que vai fazer?” “Você vai ver” Ela me disse.
Pensei um pouco e respondi: “Ok, só vou ver pra não ficar curiosa. Pra onde a gente vai?” “Pra uma Montana vermelha no estacionamento” Me disse Bia.

Eu fiquei curiosa pra ver com quem e o que a Bia ia fazer. Ao sairmos do banheiro, meu namorado estava me esperando na porta, ele me pediu pra esperar um minuto. Bia me disse que estava indo dar uma volta e piscou pra mim. Eu sabia aonde ela estava indo.

Quando olhei pra cara de bravo do Edu, vi que ia dar problema. Ele estava bêbado, e tinha visto a forma com que eu dancei no meio dos outros com a Bia, deve ter visto os homens se esfregando em mim, por mais que eu evitava deixar. Me disse que eu parecia uma putinha no meio dos homens, que eu devia ter mostrado tudo estando sem calcinha. Ele disse também que eu fiquei sem calcinha pensando em aprontar longe dele. Isso não era minha intenção e eu fiquei muito brava quando ele disse isso. A discussão continuou e foi ficando mais agressiva. Ele me xingou muito, as pessoas em volta começaram a parar pra ver, e eu disse pra ele parar com aquela cena ridícula. Ele me mandou calar a boca e continuou a brigar comigo.

Até que um bando de 5 rapazes entraram no meio e falaram pra ele parar, ele xingou os caras e começou a discutir com eles, eu disse pra eles pararem pois ele era meu namorado, até que eles trocaram alguns socos. Eu nada pude fazer. Os caras colocaram meu namorado pra fora da casa. Eu não consegui sair porque o povo se aglomerou gritando pra ver a confusão.

Rolou mais um bate boca rápido do lado de fora e meu namorado foi até o carro. Tentei correr até o carro, mas não consegui alcançar. Ele saiu da festa e me deixou lá. Recebi uma mensagem dele no meu celular dizendo pra mim ir embora de taxi. Eu tentei ligar pra ele, mas o celular estava desligado. Já tínhamos brigado em festa antes. Eu já tinha ido embora e deixado ele, dessa vez ele fez comigo.

Fiquei muito nervosa. Minha primeira reação foi pegar um copo de bebida e virar de uma vez. Era um copo de vodka. Acabei virando três copos. Fui para fora da casa e me encostei em um pilar. Não estava com vontade de chorar. Fiquei esperando a bebida fazer efeito por alguns minutos e resolvi procurar a Montana vermelha que a Bia falou. Fiquei andando pelo estacionamento com cuidado para não atrapalhar os tarados e taradas que ia pra lá fazer sexo e aprontar.

Tentei ligar varias vezes para o Edu, mas só dava caixa postal. Então, bati uma foto minha para ver como eu estava, notei que estava com uma carinha de bêbada, mas estava muito gatinha. Notei também que minha saia estava realmente curta e um tesão em mim. Então resolvi voltar para a festa e ver o que acontecia, mas enquanto estava voltando, escutei a voz da Bia me chamando. Bia estava sozinha sentada na traseira da Montana que estava com o tampão de traz aberto. Ela me perguntou por que eu demorei, eu não respondi e me sentei do lado dela. Bia colocou os dedos da sua mão direita no meu nariz e disse: “Cheira Mi”.
Eu cheirei, e senti um aroma delicioso de sexo. Disse pra ela: “Que putinha! Se tava segurando um pau menina safada!” Ela riu e aproximou sua boca do meu rosto, deixando seus lábios encostado com meu nariz dizendo: “Cheira minha boquinha agora”. Seus lábios não estavam com cheiro nenhum, mas seu halito cheirava leitinho, porra, gozo. A Bia tinha tomado leitinho de algum pau.

Pedi pra ela assoprar pra mim sentir melhor, enquanto ela assoprava com a boca encosta no meu nariz, eu respirava e sentia o cheirinho de porra da boquinha daquela menina safada. Me deu tesão sentir aquilo, imaginei o que ela acabara de fazer, imaginei ela mamando um pau e bebendo o leitinho.

Fiquei com tanto tesão que acabei lambendo a boca dela. Ela também me deu uma lambida e então nos beijamos bem gostoso. Ela colocou suas mãos em minhas coxas grossas e apertou. Ficamos se pegando e se beijando um pouquinho aí então eu parei e disse pra ela: “Aí que loucura Bia, não sabia que você curtia”. Ela sorria com cara de safada e me respondeu: “Eu não curto mesmo! Mas você é muuuuito linda Michele! Muito gostosinha, nossa!”.
Eu sorri e perguntei pra ela por que estava sozinha. Ela disse que o rapaz que estava com ela foi chamar mais alguns amigos. Em seguida ela me perguntou por que demorei. Eu cortei ela sorrindo e disse: “Que papo é esse de chamar alguns amigos? Cê não vai aprontar mais nada né?”. Ela deu risada e disse: “Então, eu faço sucesso e eles adoram uma novinha!”.

Eu fiquei passada! Queria saber o que ela ia fazer com mais de um cara. Mas pensando racionalmente, era melhor eu sair dali, já tive problemas demais e poderia atrapalhar o esquema da Bia estando ali. Bia me disse: “Você tá falando mole demais já, tá bem doidinha heim! Fica aqui comigo.”. É, eu estava bem doidinha e zonza já. Mas disse pra ela que não podia ficar ali não, poderia me causar problema.

Ela se levantou, foi até a parte da frente do carro e pegou um óculos escuro. Bia me entregou o óculos e disse, deita aí e finge que você esta bêbada, aí você pode aproveitar também se quiser.
Eu gostei da ideia. Perguntei quantos caras iria chegar. Ela disse que não sabia, mas que uma outra garota poderia vir junto. Eu perguntei varias vezes pra ela o que ela ia aprontar, mas ela não me falava e mandava eu ficar ali. Eu coloquei o óculos escuro e disse: “Eu vou ficar aqui, mas se eles começarem a fazer gracinhas comigo?”.

Bia riu e disse: “É certeza que eles vão tentar, eu vou falar pra eles deixarem você quietinha dormindo porque você está mau e bebeu demais. Aí é com você, se quiser fingir que está muito louca mesmo e aproveitar alguma coisa, você aproveita”. Eu concordei, coloquei o óculos e me sentei me encostando na lateral da Montana e colocando minhas pernas em cima do tampão. Meu coração disparava, a vodka que eu virei subia cada vez mais, minhas mãos suavam e eu estava excitada. Com um sentimento de vingança pelas coisas que o Edu me falou e pelo escândalo na frente das pessoas.
Eu fiquei quietinha esperando os rapazes chegarem. E eles chegaram em 5 rapazes. Eles não podiam ver pra onde eu estava olhando ou se eu estava de olho aberto ou não, sequei um por um.

Muito gatos e gostosos, três estavam sem camisa e eram muito malhados. Aparentavam ter entre 20 e 27 anos, exceto por um deles que tinha cara de adolescente. Eles perguntaram para Bia meu nome, e ela disse. Comecei ouvir um monte de elogios, me chamaram de delicinha, de perfeita, falaram da minha saia e do meu tomara que caia, das minhas coxas e dos meus seios, até que um deles disse: “Cambada, olhem daqui, ela tá sem calcinha cara!”.
Eles ficaram loucos, mas a Bia não deixava eles relarem em mim. Eles conversavam e bebiam, e eu abri um pouco mais minhas pernas para eles conseguirem ver minha bucetinha. Eles ficaram eufóricos!

Bia não deixava um deles tirar foto e todos riam dos comentários que saía. Três deles sentaram no tampão do carro, e brincavam com a Bia disputando no colo de quem ela ia sentar, ela sentava de colo em colo e já devia estar sentindo o volume da pica deles. Eles tiravam casquinha dela, com muita mão boba, mordiam seu pescoço e ela mostrava em suas coxas como estava arrepiada. Eu percebi que ao sentar no colo de um deles, ela apoiou sua mão em cima do pau do outro que estava ao lado. Ela mexia os dedos massageando o pau dele discretamente, e todos agiam como se nada estivesse acontecendo.

Bia tinha 5 rapazes lindos de pau duro só pra ela. Percebi também que enquanto ela massageava a pica dele por cima da bermuda, a cabeça enorme do pau dele saiu pra fora e ficou a mostra. Minha buceta esquentou de tesão, que cabeça de pau grande e inchada.

Bia esfregou os dedinhos na naquela cabeçona apetitosa, mas um outro rapaz que estava em pé disse: “Bia safadinha, eu tô vendo viu!” Ela sorriu, segurou a cabeça do pau com delicadeza e colocou dentro da bermuda dizendo: “Guarda isso safado, esse pau aí de fora seu sem vergonha”. Mas ela não tirou a mão de dentro da bermuda, e continuou esfregando aquela pica. Um outro se aproximou da Bia e abraçou sua cabeça colocando o rosto dela contra o seu pau dizendo: ”Essa Bia acaba com qualquer um!”.

Bia ficou esfregando o rosto no pau dele por cima da bermuda, até que ele abriu o ziper e ela começou a mamar.
O cara que ela estava sentada no colo botou os seios de Bia pra fora, e logo todos eles deram um jeito de revezar em colocar o pau na boquinha da Bia e em apertar seus seios Ela chupava um pouco cada um, gemia e punhetava eles ao mesmo tempo. Eles diziam que ela tinha uma boquinha gostosa e que o apelido de Bia boqueteira combinava mesmo com ela. Ela mamava faminta em cada pau, seus seios eram lindos e eu vendo tudo com muito tesão, espantada com a safadeza daquela menina.

Ela esfregava o pau nos seios, lambia e chupava gemendo muito. Logo um deles se aproximou de mim, e começou a esfregar o pau em meu rosto e meus lábios, eu fiquei quietinha, tinha muito medo de algum deles me reconhecer ou ser amigo do Edu, mas minha bucetinha queimava como fogo de tanto tesão. Eu estava melada e com muita vontade de esfregar meus dedos na buceta para aliviar meu tesão. Bia via que ele estava esfregando o pau na minha boca, ela sorria e continuava chupando.

O Cara esfregava a cabeça do pau no meu nariz e nos meus lábios, o cheiro de pica me deixava no cio. Senti que a pica dele estava babando, soltando um pouco de gozo e melando meu rosto e meus lábios. Aquilo era tesão demais pra mim. Bia mamava faminta com seus belos seios de fora enquanto um deles esfregava a cabeça do pau no meu rosto.
Resolvi fingir que estava doida, delirando, e disse quase resmungando: “Quem tá aí? O que cê tá fazendo?”. O cara me respondeu: “Estou te dando uma coisinha pra você lamber, lambe aqui, tá uma delicia”.
Eu com uma voz bem safada, gemendo e fingindo estar muito bêbeda e fora de si, respondi: “Lamber?”. “Sim gatinha, pra você lamber, vai, lambe bem gostoso”.

Sem dizer nada, botei minha linguinha quente e molhada e comecei a lamber a pica dele deixando toda molhada de saliva. Que delicia, eu estava explodindo de tesão e me sentindo uma verdadeira puta. Logo veio outro rapaz com o pau no meu rosto dizendo “Aqui gatinha lambe o meu também lambe!”.
Eu com um geitinho muito safado perguntei: “O que? Aonde…”.
Comecei a lamber o pau dos dois, e fingindo estar doidinha eu gemia e ficava repetindo :”Humm, namorado? Meu namorado? Hummm… Que delicia”.

Eles gemiam e eu lambia um pouco cada um. Não colocava o pau deles na boca, ficava só lambendo com bastante saliva, deixando o pau deles brilhando e eles loucos. Lambia principalmente a cabeça do pau deles. A cabeça daqueles paus estavam enormes e duras, e soltavam bastante gozo enquanto eu lambia. Sabendo que eu estava sem calcinha, um deles abriu minhas pernas e nem precisou levantar mais minha saia, pois ela era minúscula e meu pacotinho ficou todo a mostra.

Minha bucetinha carnuda, volumosa e fechadinha estava a mostra para eles. Pude ver como ficaram doidos. Um terceiro rapaz com o pau de fora se aproximou de mim para ver minha buceta de perto e já colocou o pau em frente a minha boca também. Eu comecei a lamber mais uma pica que já estava molhada com a saliva da Bia quando os rapazes começaram a brincar com a minha buceta.

Primeiro senti um dedo esfregando ela e espalhando todo o suco que tinha escorrido de dentro de mim, deixando minha buceta brilhando de tão melada. Que tesão incontrolável que eu senti.
Em seguida senti aos poucos o dedo dele entrando dentro de mim, por eu estar toda melada de tesão, o dedo entrou gostoso e logo o rapaz já tinha enfiado dois dedos na minha bucetinha. Não tinha como não gemer de tesão. Gemi e comecei a abocanhar o pau deles, chupando e fazendo um delicioso boquete.

Bia se aproximou de mim, ficou de quatro sobre o tampão traseiro do carro e deixou seu bumbum perto do meu rosto, um dos rapazes começou a comê-la bem gostoso, e eu vendo aquele pau fodendo ela bem de perto. Eu continuei lambendo o pau deles e eles revezavam em me comer com os dedos. Eles até tentaram me tirar da posição que eu estava pra possivelmente me comer também, mas eu não facilitei e eles desistiram.

O rapaz que comia a Bia tirou o pau de dentro dela e me deu pra chupar. Eu caí de boca e mamei gostoso sentindo o gosto da buceta da minha amiga. Bia já dava para outro e gemia gostoso, mas o cara que comia ela não aguentou nem 2 minutos e tirou o pau dizendo: “Vou gozar!”. O safado virou o pau pro lado do meu rosto e bateu uma punheta gozando na minha cara e no meu rosto, melando meus seios e pernas também. Eu abri a boca e deixei a porra entrar quente e saborosa. Engoli aquele leitinho gostoso e gemia enquanto eles me comiam com os dedos.
Outro rapaz começou a comer a Bia e eu toda melada ficava vendo de pertinho. Esse rapaz também tirou o pau dela e colocou a cabeça da pica melada nos meus lábios, batendo punheta ele começou gozar.

Eu gozei junto com o dedo de um deles me comendo. Abocanhei a pica e recebi jatos e jatos de porra quente em minha boquinha, no mesmo momento que um outro rapaz se aproximou de mim e começou a gozar também. Ele estava de lado vendo e se masturbando, e não aguentou. Notei que ele gozou propositalmente em mim toda, inclusive ele gozou em cima da minha buceta, deixando ela lambuzada de porra.

Bia começou a gozar dando pra outro rapaz, esse acabou gozando dentro dela enquanto ela chupava mais um dos rapazes que depois, gozou na boca dela.

Ao terminarmos toda aquela safadeza, eu estava toda lambuzada de porra, e disse para os rapazes: “Que safados! Vocês me deixaram toda suja de porra! E agora, como eu faço?”.

O dono do carro me deu duas camisetas para que eu e a Bia pudéssemos nos limpar um pouco. Eu estava realizada! Tanto homem gostoso gozando em mim daquele jeito, ver minha amiga dando gostoso na minha frente, era muita safadeza e eu me senti uma verdadeira putinha. Que delicia foi aquilo. Fique mais quietinha enquanto os rapazes voltavam pra festa um a um, até que sobrou apenas eu e a Bia.

Minha roupa estava toda lambuzada de gozo. A Bia disse que eu estava cheirando a porra. Ficamos realizada! E eu naquele momento estava me sentindo vingada pelas coisas que eu ouvi do Edu. Chamei um taxi para ir embora. Me lembro do taxista me olhando de cima em baixo, eu estava parecendo uma garota de programa rsrsrs.
Em breve estarei postando mais uma historia minha aqui. Por favor comentem meu conto. Beijinhos.
Meu Skype: [email protected] Com

Sexo por Telefone

Uma resposta para “Traindo meu namorado chupando vários”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *