Minha Primeira vez Praticando a zoofilia

Meu nome é Patricia. Tenho 32 anos, 1,66 de altura, peso 57 quilos, sou morena clara, com cabelos compridos e cacheados, tenho olhos castanhos e seios médios. Estou sexualmente em dia com meu marido, sou casada, dona de casa e também formada em enfermagem, feliz da vida há sete anos com filhos pequenos e muita saúde.

Sou praticante de zoofilia já há algum tempo. E vou contar como comecei a praticar e a gostar de fazer sexo com animais. Tudo começou numa tarde bem calma e silenciosa, dia comum de segunda-feira, era daqueles dias bravos onde todo mundo trabalha e estuda e fazia um calor horrível. Eu lá, cuidando dos meus serviços domésticos, lavava a louça, varria a casa e pensava em que fazer para comer no jantar. Continue lendo “Minha Primeira vez Praticando a zoofilia”

Não aguentei e trepei com meu cão

Eu tenho um cão pastor, adulto, muito bonito e saudável. Aconselharam-me ter um cachorro, por que eu era uma mulher solitária morando na cidade grande. Morar na capital era muito ruim, e viviam me falando de ladrões e estupradores que se aproveitavam de mulheres assim como eu, bonita e com 22 anos.

Comprei o cão e logo fiquei muito íntima dele. O criara desde pequeno, dava banho dentro de casa, acariciava e mimava, e ele se tornou um ótimo companheiro. Continue lendo “Não aguentei e trepei com meu cão”

Sendo Puta por um dia

Não sei o que me deu, não lem­bro direito como come­çou o assunto, se foi fazendo ana­li­ses sobre os mar­gi­nais da soci­e­dade capi­ta­lista judaico-cristã oci­den­tal, se minha curi­o­si­dade se uma pros­ti­tuta metia tão bem que nenhuma garota comum pode­ria fazer sexo melhor do que ela, ou qual­quer coisa do gênero, só sei que falando com meu amiguinho e decidi que que­ria viver esta lou­cura, que que­ria saber como é esse mundo, as vizi­nhas me chama de putas, os tios velhos do inte­rior me cha­mam de puta, até alguns caras que me cha­mam de puti­nha, então por que não? Continue lendo “Sendo Puta por um dia”

Chupada deliciosamente pela primeira vez por uma mulher

Eu e umas amigas sempre nos reuníamos para bater papo. Era uma reunião de mulheres, nenhum namorado ou amigo aparecia. Mas nessa noite, minha amiga Gisa nos surpreendeu, convidou um amigo para beber conosco… Edu chegou animado, super simpático e alegre, mas ele não veio para brincadeira e é claro que Gisa tinha segundas intenções.
Batemos um papo animado, bebemos muito, rimos mais ainda, até chegar a hora de irmos embora. Como sempre eu levava Gisa em casa, só que Edu, mudou a nossa rotina, chegou pra mim e disse: “A Gisa vai comigo e você nos segue, ok?”. Continue lendo “Chupada deliciosamente pela primeira vez por uma mulher”

Dando uma Rapidinha no escritório

Era uma quinta feira, acordei cedo como de costume, muito sonolenta e cansada. Tomei um banho gostoso e demorado, coloquei um vestido e fui trabalhar.
A manhã passou voando, era quase meio dia e estava com fome. Saí para comer um lanche rápido e voltei, queria dar uma cochilada. Antes disso dei uma olhada nas minhas redes sociais e falei rapidamente com um amigo, essas conversas gostosas que te deixa com sorriso no rosto e o pensamento longe. Na despedida falei que iria dormir um pouco e ele brincando disse: “Sonha comigo”, eu disse que sonharia e acabei ficando com isso na cabeça. Continue lendo “Dando uma Rapidinha no escritório”

Dando uma Rapidinha

Tinha quatro dias que eu tinha terminando com o Léo. As coisas ainda estavam bem recentes, mas decidi que não iria chorar e que minhas amigas estavam certas. A hora era de badalar. Peguei um vestido que o Léo havia apelidado de “vestido da discórdia”, por que ele ressaltava todas as curvas e detalhes do meu corpo. Nunca tive o corpo marombado, mas seios, coxas e bumbum faziam a orquestra perfeita no meu corpo de brasileira e quando eu usava aquele vestido, sempre chamava a atenção. Decidi que seria com ele que badalaria aquele dia. Continue lendo “Dando uma Rapidinha”