A primeira vez que mamei gostoso outro macho

Sempre fui um sujeito um sujeito másculo, viril. Casei aos 26 anos e estou com minha esposa té hoje, 13 anos depois. Até os 33 anos eu jamais senti qualquer desejo por outro macho. Mas um dia, quando minha mulher me chupou e deixou e gozar na boquinha dela a primeira vez, senti um tesão enorme ao ver aquele leite escorrendo pelo canto de sua boca, e num ímpeto a beijei com tesão, e ficamos os dois com as bocas meladas de porra. Desde esse dia, passei a fantasiar eu mamando um macho até a porra dele encher minha boca. Mas sentia vergonha, culpa.

Um dia consegui arrumar um emprego num escritório que fazia digitalização de processos eletrônicos para advogados. Eram 10 pessoas no escritório, sendo 6 homens e 4 mulheres. Um dos homens era o chefe da equipe, já que o dono do escritório nunca ia lá. Era um sujeito mais ou menos da minha idade e corpo, e também tinha jeito másculo, um sujeito acima de qualquer suspeita. Era casado e pai de duas crianças.

Um dia estávamos passando por uma demanda grande de digitalizações de processos e entramos pela noite em trabalho extra. Já quase 20h, cansados de trabalhar, restávamos só eu e ele. Ele se espreguiçou na cadeira dele, empurrou um pouco a cadeira para se afastar da mesa dele, e me chamando, disse: “to cheio de tesão, meu pau tá duro, quando chegar em casa vou meter muito com minha mulher”. E com a mão sobre a calça, ficou mostrando o volume. Eu, sem graça, disse pra ele :”Nossa, cara, parece um cavalo, que pau é esse?!, e ri em tom de brincadeira. Ele, ainda com a mão apertando o pau, perguntou: “Quer dar uma olhada?”. Confesso que fiquei absolutamente sem graça, envergonhado. Fiquei mudo por uns segundos e consegui responder rindo: “Que isso, quer ver pau nada!” Ele insistiu, “Acho que você quer ver sim, e vai gostar da minha pica.” E foi abrindo as calças e colocou o pau pra fora, duro, grosso, e de um tamanho bom. Na hora me bateu um tesão danado, meu pau subiu rápido e senti uma vontade doida de mamar o pau dele. Bastou que ele fizesse um gesto me chamando e mandando eu mamar. Fiquei de joelhos na frente dele, segurei o pau, e comecei a mamar. Senti uma sensação indescritível, um tesão incontrolável. Ele tirou as calças toda pra ficar mais a vontade e segurando minha cabeça, pressionava contra o pau dele e dizia putaria :”chupa, minha putinha safada, deixa eu fuder essa boca gostosa, vou encher essa boca de porra quente. Quer? E repetia isso e dizia mais safadezas. depois de alguns minutos, senti o pau dele inchando na minha boca, ele segurou minha cabeça e senti os jatos de porra enchendo minha boca, enquanto ele gemia alto de prazer. Tirou o pau da minha boca, virou meu rosto pra ele e mandou eu engolir a porra dele. Muita porra já tinha escorrido, mas engoli o resto que tava na minha boca. Ele me olhou ainda com cara de safado e disse: “assim que gosto, da putinha bebendo meu leite todo”. Ele se levantou, foi no banheiro e eu fiquei esperando para limpar minha boca que estava toda melada de porra. Confesso que nessa hora estava morrendo de vergonha, mas ainda estava com o corpo trêmulo de prazer. Trabalhei ainda 2 anos lá nesse escritório, e mamei várias vezes o pau gostoso dele, e tive minha primeia experiencia de dar o cuzinho para outro macho. Mas essa história eu conto depois. Até a próxima.

Quem quiser me contar histórias semelhantes, adoro saber da experiencia dos outros. Meu zap 21-99957-3363

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *