Perdendo o cabaço pro outro amigo de infância

No conto anterior eu detalhei como tive minha primeira experiência gay, e foi com meu melhor amigo, Henrique, ainda na minha adolescência. Como dito, na minha rua havia uns 6 garotos da minha idade, então era chegar da escola e ir pra rua jogar bola, bater pique, ir pra casa de algum amigo jogar videogame, computador, ou então, às vezes, pagar um boquete. Hehe
Esse conto vai ser da minha primeira experiência com um outro amigo meu que também morava na minha rua, e como ele tirou meu cabaço.
Seu nome era Carlos. Ele era alguns poucos centímetros mais alto que eu, nem magro nem gordo, um pouco cheinho, nada demais, cabelos e olhos castanhos. Ele tinha a minha idade, um mês mais novo apenas.
Um dia a gente tava brincando na rua, e começou a escurecer e os outros mlks foram indo embora pras suas casas, só sobrando Carlos e eu. Continue lendo “Perdendo o cabaço pro outro amigo de infância”

Com Meu Filho e o Negro Dotado

Como terminei no meu último conto, eu e Gilberto após tomarmos banho ficamos no sofá, mas estávamos nus, porque esperávamos que meu filho chegasse a qualquer momento. Chegou pouco depois e trazia um saco com compras. Ao ver-nos falou, parece que fizeram uma grande festa na minha ausência, eu respondi, para o Gilberto foi só festança mas para mim não, porque no final rebentou as minhas pregas todos do cuzinho, que ainda me dói e arde muito, ao ouvir as minhas palavras ambos se riram como que a gozar comigo. Meu filho começa a tirar a sua roupa e manda eu abrir a compra que trazia, era um consolo grande e grosso (com medidas idênticas ao pauzão do Gilberto) e com um cinto para colocar na cintura. Continue lendo “Com Meu Filho e o Negro Dotado”

A Promessa

Eu estava suando novamente. Fechei os olhos e tentei acalmar meu coração batendo. Eu a vi lá, na minha mente. O cabelo castanho claro cortou e quase não cobriu as orelhas. Lembrei-me de cada detalhe, de como seus olhos castanhos se enrugaram quando ela sorriu, do jeito que o lado esquerdo de seus lábios ondulava mais do que ela quando ela riu. O olhar em seu rosto quando fazemos amor, seu pescoço suave e sensível. Eu ainda podia ver as poucas sardas que estavam espalhadas pela ponte do nariz. Tudo isso ainda era meu, mas eu sabia que não duraria. Segurar sua imagem por duas semanas tinha sido um milagre. Eu só tive uma última promessa de manter. Continue lendo “A Promessa”

Esfolando o pau no rabo da filha safada

Este conto é continuação da primeira narrativa sobre minhas aventuras com minha filha, uma morena bonita e gostosa que se tornou minha amante de todos os finais de semana, já que sou divorciado. Numa sexta-feira em que estava de folga, estava ansioso por ver Marina e fui buscá-la na saída do colégio. Assim que chegamos em casa nos atracamos, ainda na cozinha. Ganehi um boquete fenomenal, o que me estimulou a retribuir e logo estávamos no chão da sala num intenso 69, onde me acabei de chupar sua xaninha, fazendo minha puta gozar convulsivamente, toda arrepiada e corada, engolindo a pica com dificuldade, enquanto eu chicoteava a língua no grelinho duro, que parecia um pintinho e caía na vulva de queixo e nariz, deliciando-me com seu feromônio de fêmea no cio. Havia esquecido de comprar Continue lendo “Esfolando o pau no rabo da filha safada”

Papai de tanto me proteger e me comeu gostoso

Pelo que aconteceu comigo, tornei-me fã de contos eróticos na internete e resolvi escrever a minha estória. Meu nome é ANDRESSA (fictício), nunca fui nenhuma deusa da beleza, mas me considerava uma menina com um corpo bem definido: Magra; morena clara; cabelos curtos; 1,65 mts; 56 kgs; bundinha certinha e firme; seios um pouco grandes porem durinhos. Com 18 anos terminei o ensino médio e fui tentar a faculdade de odontologia (meu sonho).

Apesar de tentar em 2 faculdades, não passei em nenhuma delas e fiquei muito frustrada. Meu pai; que ainda não tinha se separado de minha mãe, conversou muito comigo tentando me tranqüilizar dizendo que eu era ainda muito nova e que poderia fazer um cursinho pré-vestibular e tentar no ano seguinte; mas me alertou para analisar meu comportamento durante todo o ano que foi de namorar quase todos os dias; cinema; festinhas e bailes quase todos os finais de semana, e que se eu tinha um objetivo deveria mudar meu comportamento. Continue lendo “Papai de tanto me proteger e me comeu gostoso”

De amigo a amante safado

Olá, tudo bem? Vocês podem me chamar de Jorge, tenho 18 anos. Nesse conto vou relatar como acabei transando com a minha amiga Eliane. Ela é uma mulher de 38 anos que cuida bastante do corpo e faz academia, uma mulher do estilo ”milf” (sigla em inglês para “Mother I’d like tô Fuck”, ou seja: “Mãe com quem eu gostaria de trepar”. Uma mulher que já não é tão novinha, que pode ter filhos, mas ainda é gostosa e atraente e desperta o desejo dos homens e das mulheres.). Ela tem uma pele bem branquinha, peitos bem grandes e os cabelos são negros e longos que vão até a bunda que também é enorme.

Eliane além de ser mãe de duas meninas é casada. Eu a conheci na padaria onde ela trabalha e é proprietária. Por conta de ser perto de casa tornei-me cliente assíduo e com isso um bom amigo, chegando até a freqüentar sua casa, fiz amizade também com as suas filhas, por ter as filhas sempre por perto não me sentia impedido de flertar com Eliane, pra minha sorte tinha momentos que ela retribuía os flertes. Continue lendo “De amigo a amante safado”