Uma massagem nuru para vovô relaxar

Quando era adolescente adorava passar os finais de semana e as férias na casa de meus avós
Lá que tinha a maioria dos meus amigos
País de minha mãe , eles eram super carinhosos com os netos
Eles faziam de tudo para nós agradar
Vovó Joana fazia doces e bolos deliciosos
Meu avô Mário era mais sério porém muito carinhoso
Passei boa parte de minha adolescência na casa deles
Mais o tempo vai passando , a gente vai crescendo

E vai se ocupando com outras coisas na vida
Mais quando estava prestes a completar 18 anos
Precisei ajudar meu avô nos trabalhos domésticos
Vovó Joana foi internado para cuidar de um probleminha na visão
Nada que preocupasse tanto a gente
Dali no máximo 3 dias já voltaria para a casa
Como minha mãe não pode ir devido ao trabalho
Acabou me convencendo a cuidar de meu avô
Arrumava a casa e fazia almoço para a gente
Avô Mário já tinha 62 anos de idade
Mais por sermos negros , não aparentava ter esta idade
Nunca teve vícios de beber ou fumar
Alto , magro , tranquilo nas palavras , tinha o respeito de todos que o conheciam
Meu avô se recolhia cedo para o seu quarto
Mal davam 21:00 horas já estava dormindo
Me dava o beijinho de boa noite e ia descansar
Eu sempre tive o costume de dormir bem tarde
Mais meu avô acordava bem cedo e tive de mudar meus abtos ao menos naqueles dias
No primeiro dia acordei por volta das 8:00 horas da manhã
Vovô Mário já tinha preparado o café da manhã
Me cumprimentou da mesma maneira que sempre fazia
Depois de tomar o café , fui lavar a louça e arrumar a casa
Procurei me comportar com minhas roupas
Nada de shortinho minúsculo
Me vestia de maneira normal e adequada
Mais em determinados momentos percebi os olhares de vovô em minha direção
O rabo empinado eu não conseguia disfarçar
Já sou assim por natureza mesmo
Puxei minha mãe , temos a bunda arrebitada
Fazia meu trabalho ouvindo as conversas de meu avô
Contava piadas , me tirando gargalhadas
O dia passando até que rápido para o meu espanto
Imaginei que seria um grande tédio estar ali
Só sentia um pouco de falta de meu namorado
Eram umas 17:00 horas quando vovô disse que iria tomar banho
Fiquei ali na sala assistindo televisão
Poucas opções devido a idade deles
Quando vovô retornou para a sala se sentou bem próximo de mim
Fiquei meio espantada quando trouxe sua mão direto em minha perna
Vovô tratou de me tranquilizar dizendo :
Minha netinha você está se transformando numa mulher
Numa bela mulher igual a sua mãe
Quero que você saiba que olhando agora para vc
Eu vejo a sua mãe quando tinha a sua idade
Era realmente a garota que encantava a mim e a Joana
Ficou conversando e eu ali ouvindo seus conselhos
Balançava a cabeça concordando com tudo o que dizia
Ficamos mais de 1 hora ali conversando
Ou melhor , ele falando e eu ouvindo
Vovô tinha toda uma vida de experiência
Eu entrando em meu primeiro ano de idade adulta
Pouco sabia da vida ou de qualquer outra coisa
Jantamos , tomei banho , a noite chegou e o sono também
No dia seguinte a mesma rotina
Tomamos café , fui lavar louças e arrumar a casa
Notei que meu avô não estava ali a me observar como no dia anterior
Estava deitado no sofá a assistir televisão
Voltei a cuidar da casa tranquilamente
Quando terminei fui sentar no outro sofá fazer companhia para o vovô
Quando ele me viu , chamou :
Senta aqui Simone , senta aqui perto de mim
Mais ele não se levantou , continuou deitado
Por ser grande , ocupava o sofá inteiro
Ficou de lado e fui sentar na ponta do sofá
Começou a falar de minha avó
O quanto tempo estavam juntos e coisas e tal
Acrescentando que os casais antigos eram bem diferentes dos de hoje
Quando passou uns 50 minutos vovô começou a reclamar de dores nas costas
Se levantou com minha ajuda e disse que deitaria um pouco na cama
Que ficou um bom tempo no sofá e tinha sentido um desconforto
Quando eram quase 11:00 horas já me preparava para arrumar o almoço
Tinham o costume de fazer suas refeições cedo
Foi quando meu avô Mário me chamou em vós alta
Fui correndo ver se tinha acontecido alguma coisa com ele
Quando entrei no quarto , vovô estava sem camisa
Parecia sentir fortes dores nas costas
Mais que depressa eu queria ligar para minha mãe
Mais vovô disse não precisar
Me perguntou se poderia fazer uma massagem em suas costas
Que logo passaria aquela dorzinha que estava sentindo
Respondi que sim que faria é claro
Afinal não via malícias em seu pedido
Vovô estava de bruços , e massagearia suas costas
Fui fazendo do jeito que sabia fazer
Passava as mãos lentamente nas costas por inteira
Vovô passou a pedir para apertar com um pouco mais de forças
Ia e voltava com minhas pequenas mãos
Notei que estava relaxando sentindo os músculos se acalmarem
Foram vários minutos com as mãos percorrendo suas costas
Quando vovô fez algo que me perturbou
Avô Mário se virou de barriga para cima e me puxando pelas mãos disse :
Sinto também fortes dores nos ombros
Massageia aqui , colocando minha mão em seu ombro
Mostrava os dois , me fazendo massagear
Pedia que apertasse mais e mais a cada movimento de meus dedos
Vovô usava uma bermuda longa e folgada
Disse estar melhorando e passando as dores musculares
Quando fechou os olhos , me vi olhando no meio de suas pernas
Era apenas curiosidades , nunca pensaria em algo com meu próprio avô
Notei que o safado estava de pau duro
Mesmo com aquela bermuda larga
Parecia ter uma rola de respeito no meio de suas pernas
Rapidamente voltei a me concentrar na massagem
Mais para vovô dizer o que falou a seguir
Deve ter notado meu olhar no meio de suas pernas
Pegou em minha mão e me fez ir descendo por seu corpo
Levava até os peitos e ia puxando lentamente
Parecia querer me seduzir ou sei lá o que
Quando dei por mim , minhas mãos percorrendo sua barriga
Vovô experiente me fez massagear suas pernas
O safado queria era me levar até a sua rola
Quando ameacei pular e voltar para os ombros vovô falou :
Posso tirar o short um pouquinho ?
Eu falei :
Não vovô , não precisa não !
Acho que já está bem melhor o senhor
Num ato desesperado ele me catou pela mão e disse :
Só mais um pouquinho aqui olha
Quase não acreditava no que ele acabara de fazer
Vovô abriu o zíper da bermuda e o pau saltou
Fiquei meio que incrédula e sem ação
Vovô percebeu e agiu
Me fez catar naquele caralho enorme
De veias saltadas e expostas
Parecia um pedaço enorme de chouriço preto
Levava minha mãozinha até o seu saco grande
Me encontrava toda envergonhada e vermelha
Vovô mandou que pegasse com as duas mãos
Me fez punhetar em sua pica dura
Passei a movimentar o pau de vovô
Ouvia seus sussurros :
Isso , assim Simone , vai minha querida netinha
Bate uma punheta para o vovô
Que mãos gostosas e ágeis vc tem
Vovô tentou me fazer com que chupasse o seu cacete
Como me recusei de qualquer jeito ele continuou a gemendo na punheta
Fiquei vários minutos punhetando e ele delirando em minhas mãos
Quando soltou sua porra fiquei espantada
Um jato enorme de leite quente veio em minha cara
Cachorro gosou forte que a porra foi longe
Vovô soltou um grito de alívio
Sai com tudo do quarto e fui tomar banho
Mais tarde vovô estava todo sem graça
Me pedindo desculpas várias vezes
Me pedindo para manter segredo
Que estava louco de vontade de gosar
Pensei comigo :
Ele nem dor nas costas não deve ter sentido !
Tranquilezei meu avô dizendo que esqueceria aquilo
Mais que nunca mais me obrigasse a fazer
A noite sentia minha bucetinha toda molhada
A imagem da tora enorme de vovô não saia de minha mente
Enfiava os dedos na bct e imaginava a rola de meu avô me rasgando
Lógico que jamais seria capaz de fazer aquilo com ele
Primeiro que é meu avô
Segundo que aquela mandioca enorme iria me estourar toda a xoxotinha !

Deixe um comentário