Resisti mas acabei comendo minha nora safada

 

Relutei muito antes de decidir contar aqui o que aconteceu comigo neste ano, talvez tenha sido uma das mais angustiantes e ao mesmo tempo mais gostosa experiência da minha vida. Sou pai, e já não sou jovem muito pelo contrario, sou maduro, tenho mais de 50 anos, tenho uma família bem estruturada, minha esposa é a mais recatada de todos nós e tenho dois filhos adultos…
Vamos ao que me propus contar aqui, meu filho mais velho se casou com uma menina, digo menina porque realmente é! Ela ficou grávida aos 17 anos, e esse foi o motivo do casamento sair às pressas. Ela é uma menina muito bonita e tem um corpinho delicioso, é uma gatinha! Eu a conheci quando ela e a mãe vieram até nos para contar da gravidez.

Depois disso começamos a conviver como uma família normal, ela nos deu uma netinha muito linda, a quem amamos muito e fez com que nos aproximássemos muito, eu e minha esposa estamos sempre indo a casa deles ver e curtir nossa netinha. Passados seis anos, comprei um sito a 30 km de onde nos moramos, meu filho que gosta muito da natureza pediu para morar lá, embora trabalhe aqui perto de onde moramos, mas como ele trabalha um dia sim e outro não, é tranqüilo enfrentar 30 km para vir trabalhar.
Para mim foi muito bom, assim ele ajuda a cuidar do sítio, minha nora que também gosta da natureza ficou muito contente e me agradeceu muito por ter os deixados morarem lá. Ela agora com 23 anos uma mulher, linda e mais gostosa do que nunca, digo isso porque apesar de ser sogro sou homem, e não iria deixar de perceber a mulher gostosa que meu filho esta comendo!
Passei a ir ao sítio sempre que posso, adoro ir lá, isso quer dizer todos os finais de semana, feriados e dias que tenho folga no serviço, minha esposa mais urbana vai apenas quando a saudade da neta aperta ou quando a gente faz alguma festinha por lá.
Com a minha ida constante ao sítio, eu, meu filho e minha nora, ficamos mais próximos, como meu filho fica um dia na sito e outro não, eu e Jô (é como chamo minha nora) nos dias em que meu filho não esta, conversamos muito, e a cada dia que passava ficávamos mais íntimos.
Foi então que tudo começou um dia conversando ela me disse; “Sogrinho eu não me canso de agradecer por ter comprado esse sítio e nos deixar morar, sou muito feliz aqui, eu não sei o que fazer para te agradecer?” Não precisa me agradecer! Basta continuar assim me tratando com carinho, me dando esses abraços apertados e demorados, quando chego ou quando saio… Ah! Sogrinho, só isso é o bastante? Sim, ser abraçado por uma mulher linda e delicada é sempre muito gratificante… Eu, linda! É muita delicadeza sogrinho, não vejo nada de lindo em mim… Não fala assim, Jô! Realmente és linda! Não é delicadeza, apenas constatação!… Então me diga o que tenho de lindo… Tudo! Dos pés a cabeça, me perdoa o atrevimento, mas tudo em ti e lindo!… É! Se fosse assim, teu filho também me elogiaria!… Ele tem é muita sorte! Ter uma mulher assim são poucos que tem!…Ta! Ainda não disseste o que em mim é lindo? Dizer tudo é simples!…Já que queres, vou dizer! Teu rosto, tudo nele é perfeito, teus olhos tem brilho, teus lábios são sensuais, teu sorriso branco, teus seios, embora não tenha visto nus, percebo que são durinhos, firmes, perfeitos, tua cintura fina e teu quadril largo se harmonizam com teu bumbum arrebitado, por fim tuas coxas acabam por terminar essa obra prima da natureza…
Não sei como tive coragem de dizer tudo aquilo a ela, mas, me escutou sem interromper e depois me disse:
Sogrinho, nunca ouvi nada igual, meu ego está nas nuvens, um elogio como esse vindo de um homem maduro, experiente e de bom gosto como sei que tens, eu fico sem palavras… Que bom que não ficasses com raiva do meu atrevimento! Afinal sou teu sogro e acabei dizendo tudo isso sobre teu corpo… Jamais te xingaria, pois tenho certeza de teu respeito por mim. Pensando melhor seu safadinho, andas secando tua norinha, neh?… Secando não, mas não posso deixar de perceber o quando és linda e… Bem, deixar pra lá!… Deixa pra lá não! Pode continuar o que ias dizer que sou linda e…? Eu digo, mas tens que prometer que é nosso segredo… Prometo, então diz sou linda e…? Muito, mas muito GOS-TO-SA! Pronto disse!… Seu taradinho!
Ela falou isso e escutamos minha netinha chamando mamãe, mamãe… Boa noite sogrinho! Tenho que ver a Isa, ela esta me chamando. Adorei nossa conversa e teus elogios…
Então fui para cama pensando em tudo que conversamos e acabei adormecendo.
No dia seguinte, quando acordei meu filho já estava em casa, e chamou, pai vem tomar café aqui na cozinha, cheguei lá ela estava sentada entre Thiago meu filho e Isa, minha netinha, dei bom dia a todos e ela me respondeu bom dia Renato!… Logo senti a diferença, ontem me chamava de sogrinho, agora de Renato! A presença do Thiago tinha feito mudar seu comportamento, isso me deixou aliviado, ela sabia diferenciar uma situação da outra…
O dia se passou normalmente com todos ocupados em seus afazeres, a noite chegou e todos fomos dormir, eu no meu quarto deitado, e um pensamento não saia da cabeça, amanhã meu filho vai trabalhar e novamente ficaremos sós, a Isa vai para o colégio… Assim adormeci.
Quando acordei já eram 8:30 hs, tomei um banho e fui para cozinha fazer café, sabia que ela tinha ido levar Isa no colégio e que logo, logo, chegaria… Quando acabei de por a mesa escutei o carro chegando, era ela, um minuto depois entrava pela porta da cozinha, quando me viu abriu um sorriso e disse:

Bom dia sogrinho!
Bom dia Jô!
Já acordado! Fez também o café prá nós… Que mimo! Eu chegar em casa e a mesa posta com o café da manhã…
O que eu não faço pra agradar minha norinha!
Sogrinho espera só um pouquinho, que vou me trocar, e já volto para tomarmos nosso café…
Leve o tempo que precisar, não tem pressa…

Minutos depois ela aparece na porta da cozinha, quase infarto ao vê-la… Estava vestindo um shortinho de malha curtinho e bem coladinho ao corpo que realçava sua bundinha rebitada e sua bocetinha volumosa, um top de um tecido leve, curtinho, sem sutiã de modo que seus seios firmes ficavam soltos, que tesão senti na hora, meu pau ficou duro de imediato, meu pensamento veio logo, ontem tão recatada e hoje tão tesuda.
Como ela percebeu que eu fique olhando pra ela sem dizer nada, perplexo pelo que tava vendo ela então falou:

Agora estou mais confortável, com esse calor que esta fazendo o jeito é usar roupas mais frescas, não acha sogrinho?

Como não respondi, estava boquiaberto, ela insistiu.

Não acha sogrinho?
Heim! Ah! Jô perdi o fôlego! Estas linda, maravilhosa, se ontem eu te elogiei, sem ter visto vestida assim, eu nunca tinha te visto com roupas tão…
Roupas tão o que? Sogrinho…
Tão fresquinhas!
Só to usando, porque teu filho não esta, e estamos sós aqui, sem perigo de chegar alguém! Conheces bem o Thiago se vê vestida assim, me mata… Espero que seja nosso segredinho também!
Claro que será jamais diria a ele… Jô és um colírio para meus olhos, estas divina, teu corpo é perfeito, não resisto, vou falar…
Falar o que?
Deus me presenteou com a norinha mais GOSTOSA do mundo.
Seu taradinho, falar isso pra norinha! Ai, ai, ai!
E por falar nisso, ainda não recebi hoje aquele abraço apertado e demorado de agradecimento! Hehehehe

Ela sorriu, abriu os braços e veio em minha direção… Abraçamos apertado, ficamos coladinhos por mais de um minuto, senti aquele perfume natural de seu corpo, meu pau doía de tão duro, preso na bermuda, tenho certeza que ela sentiu o volume apertando seu ventre, mas não reagiu, apenas ficou ali abraçada a mim.
Ela afastou um pouco e perguntou:

Gostou do abraço, sogrinho?
Adorei! Preciso de abraços assim para sentir que alguém gosta de mim!
Seu bobo, todos nos gostamos muito de ti, sabes muito bem disso!
Sei sim! Mas um abraço assim faz ter certeza.
Então vou dar vários desses por dia, só pra teres certeza, ta!
Vamos tomar nosso café agora?

Durante todo o café não conseguia tirar os olhos dos peitinhos dela, ali na minha frente, soltinhos e firmes, por baixo daquele tecido fininho que deixava ver a silueta dos peitos, mas lindos e perfeitos que já vi! Não estou exagerando quando falo que minha nora tem o corpo perfeito, pelo menos é assim que a vejo.
Ela percebeu meu olhar, mas apenas sorriu…

Jô, hoje não vou fazer nada, vou ficar aqui dentro de casa para admirar minha norinha no afazeres de casa, posso?
Como assim admirar?
Ficar olhando enquanto posso, para essa obra prima da natureza!
Enquanto posso? Como assim, enquanto posso? Tens ainda muita saúde para falar assim.
Não é isso! Falei porque amanhã o Thiago está em casa e ai, vais vestir mais comportada que eu sei…
Há! Ainda bem que é por isso!
Jô promete uma coisa pra mim?
Depende!
Promete que vais usar sempre roupinhas assim fresquinhas quando estivermos sozinhos?
Mas que taradinho, isso é pecado sabia? Querendo ver a norinha sempre assim com pouca roupa…
Na verdade, na verdade, eu queria era ver com menos roupas ainda!

Ela não falou nada, levantou e foi tirar a mesa e em seguida começou a lavar a louça, e eu ali admirando aquela bundinha pra lá e pra cá na pia enquanto meu pau duro feito aço dentro da bermuda doía querendo se libertar daquela prisão.
Fiquei de pau duro praticamente o dia todo, observando aquele avião, desfilando aquele corpo perfeito e gostoso, fazendo charminho e abusando na sensualidade, que coisa gostosa poder observar um mulherão como minha nora sem precisar disfarçar.
No final da tarde minha esposa ligou, pedindo para voltar que tinha assuntos nossos a resolver e que o pessoal do meu trabalho tinha ligado perguntando por mim.
Fiquei uma semana sem ir para o sítio, resolvi tudo que tinha e consegui dez dias de férias, convidei minha esposa para passarmos os dez dias no sítio, ela não quis dizendo que só iria no final de semana.
Liguei para minha nora e perguntei se poderia passar dez dias lá com eles, ela disse claro que pode, o sítio é teu não precisas de autorização, eu estou mesmo precisando de alguém para desabafar, mas não quis adiantar nada.
No outro dia sedo já estava lá, meu filho me recebeu, conversamos um pouco, em seguida Jô chegou, “Olá Renato, como vai?” Senti logo que alguma coisa não ia bem entre os dois, fiquei na minha! Thiago então me falou que foi muito bom eu ter vindo para passar alguns dias, porque ele tinha que viajar a serviço e ficaria pelo menos três dias fora, e assim ficaria tranqüilo comigo ali.
Depois do almoço, Thiago se despediu e foi para viagem dele.
Em seguida eu perguntei a Jô porque o clima estava tão pesado? O que tinha acontecido? E ela então se abraçou comigo e chorou, eu abracei colei seu rosto no meu peito acariciei seus cabelos, pedi para ficar calma e me contar o que estava acontecendo. Ela foi acalmando e ainda abraçada a mim começou a contar:

Nato (é meu apelido) eu flagrei o Thiago ao celular marcando encontro com alguém, eu estava desconfiada, então quando ele foi tomar banho peguei o celular dele vi qual foi o ultimo número, liguei, quem atendeu foi aquela vaca, filha da puta, dá ex namorada, que nunca largou do pé dele, fui tirar satisfação, ele desmentiu tudo dizendo que eu estava louca, acabamos brigando um monte e ainda veio com essa viagem de três dias! Não engoli essa não! Mas ele vai ver, não vai ficar assim, vou dar o troco!
Calma Jô! As coisas ás vezes são diferentes do que parece!
Pode ser! Mas não sou tola! Bem, deixa prá lá! A vida ta ai pra ser vivida? Então vamos viver, não vou ficar triste com isso não e pronto! Meu sogrinho esta aqui comigo, prá me alegrar, né?
Sim, vou fazer tudo para esqueceres isso e quando ele voltar vocês ficarem numa boa…
Nato, dá um tempinho que estamos a sós, vou botar uma roupa mais fresquinha… Já volto!

Aquelas palavras fizeram meu coração acelerar, pensei agora ela vai por aquele shortinho de novo, e fiquei ansioso aguardando a volta. Passaram alguns minutos e ela apareceu, novamente com sorriso aberto, com aquela carinha de quem sabe que esta deslumbrante e que eu iria babar ao vê-la.

Pronto sogrinho gostou?

Ela estava mais gostosa ainda! Com uma micro saia branca de preguinhas que mal tapava sua bundinha rebitada e na parte de cima um sutiã também branco, tipo cortininha que cobria apenas seus mamilos, um batom Vermelho destacava ainda mais aquela boquinha linda.
Ela fez de propósito, ela realmente sabia que não agüentaria e ficaria de pau duro na hora, tanto é que parou olhando para minha bermuda para ver o volume se formar de imediato.

Meu Deus, Jô! Consegues ser mais linda e gostosa a cada vez que apareces com essas roupinhas fresquinhas!
São seus olhos, sogrinho! Vem cá, vem! Eu ainda não dei teu abraço demorado como gostas!

Fui de encontro a ela e nos abraçamos apertado, ela sabia que meu pau estava duro, mesmo assim, se encostou todinha em mim, meu coração disparou ao sentir aquele perfume que vinha de seu corpo, senti sue peitos durinhos encostados ao meu, minha pica encostou-se àquela bucetinha macia, minha vontade foi beijá-la e levar para cama, me contive, afinal é minha nora, ficamos assim alguns minutos, sem falar, apenas sentindo um ao outro. Ela me trouxe de volta a terra.

Sogrinho vai por uma sunga e vamos prá piscina!
Há! Vamos sim, lindinha!
Vou lá me trocar e já volto.
Sogrinho,
Oi,
Gosto muito quando me chamas assim “lindinha” é tão carinhoso!
Oh! Lindinha, meu doce, princesinha, é o maior prazer te tratar com muito carinho, e se permitires gostaria de chamar de gostosinha também, posso?
Pode, mas só quando não tiver ninguém por perto, promete?
Claro que prometo! Agora vou me trocar.

De propósito vesti uma sunga com tecido bem fino, para que ela percebesse bem minha pica quando endurecer por sua causa.
Voltei, ela ainda esperava na sala.

Vamos lindinha?
Vamos sogrinho!

Quando chegamos à piscina, ela tirou a micro saia, foi ai que percebi que a parte de baixo do biquíni era minúscula, era também tipo cortininha branco assim como a parte de cima, e mal cobria a bucetinha volumosa, que imagem! Que mulher gotosa, minha nora realmente é muito gostosa, não pude evitar uma nova ereção, e também não preocupei em esconder. Tenho certeza que ela percebeu, com a sunga que coloquei exatamente para ficar bem evidente. Ela fingiu não perceber meu pau duro preso na sunga, mas para me sacanear pediu:
Sogrinho passa protetor e mim?
Princesinha assim tu me matas!
Porque eu te mato? É tão difícil assim?
Não, não! Muito pelo contrário, meu medo é não resistir e enfartar quando tocar neste corpo lindo e gostoso. Rsrsrsrs
Seu bobo, não sou isso tudo, não!

Falou isso, estendeu a toalha e deitou-se de bruços. Puta que pariu!!! Quando vi aquela bundinha redondinha rebitada e só um triangulo minúsculo tapando nada daquela maravilha, meu tesão foi tanto que sem querer soltei um suspiro, meu pau que já estava duro, agora latejava, aquela mulher me provocava ao extremo, minha vontade era me deitar encima daquela bundinha e esfregar minha pica. Mas uma vez tive que me controlar, porque era minha norinha que estava ali, porem sabia que teria que comer aquela mulher gostosa pelo menos uma vez sobre pena de eu nunca mais ter sossego na minha vida.

Que suspiro foi esse, sogrinho?
Estas sentindo bem?
Melhor impossível! O suspiro foi uma reação ao que meus olhos viram
E o que foi que teus olhos viram?
Uma mulher muito gostosa, com a bundinha, mas perfeita que eles já viram.
Seu taradinho! Vai ou não passar o protetor?
Claro que vou!

E comecei passar o protetor bem lentamente pelo pescoço, ombros, braços, passei nas costas, que pele macia, gostosa de tocar, parecia veludo, e lentamente cheguei à cintura, agora tava perto da bundinha onde eu queria chegar, senti com meus dedos o quanto era firme durinho seu bumbum, e demoradamente escorreguei para o meio de suas nádegas, meus dedos passaram muito perto da bucetinha, levei alguns segundos ali, queria saber se ela reagiria, ela não se mexeu, segui em frente, passando agora em uma das coxas fui até o pé, voltei pela outra subindo do pé em direção a bundinha, me aproximando novamente da sua bucetinha, toquei bem de leve nela por cima do tecido, como é macia, ela não reagiu a nada, meu pau doía babando minha sunga, depois de alguns segundos ela se mexeu e falou:

Não agüento esse calor, tenho que dar um mergulho para refrescar…

Levantou e mergulhou na piscina, brincou um pouco e depois saiu dizendo;

A água ta uma delicia!

Não acreditei ao notar quando saiu que o biquíni branco molhado ficou transparente, mostrando os biquinhos durinhos dos peitinhos, sua bucetinha sem nenhum pelinho, lisinha, mostrava perfeitamente sua rachinha, fixei meus olhos naquela buceta. Ela me olhou nos olhos e depois pra minha pica, ela queria ter certeza do meu tesão, que levantava o tecido da sunga mostrando volume do meu pau, então crie coragem e pedi:

Princesinha dá aquele abraço agora?

Ela sorriu, olhou novamente pra minha pica e veio ao meu encontro, nossos corpos se juntaram de cima a baixo, ajeitei minha pica duro feito aço entre suas pernas envolvi meus braços em sua cintura e puxei com força contra mim, meu pau encaixou na sua bucetinha, ela deixou escapar um suspiro denunciando o quanto também estava excitada e ficamos assim por alguns minutos, então abraçado a ela puxei para piscina e caímos os dois juntos na água, puxei novamente para meus braços, nos encaixamos novamente, agora não tinha mais como evitar, estávamos excitados de mais, eu nas nuvens, jamais imaginei ter aquele avião em meus braços, esqueci que era minha nora, foda-se o mundo, agora o tesão e não mais a razão que comandava nossos corpos.
Criei coragem e beijei seu pescoço, ela permitiu sem dizer nada, apenas dobrou a cabeça para o lado facilitando minha investida, continuei beijando e fui subindo em direção aquela boquinha linda que em meus pensamentos queria beijar, quando cheguei perto ela se virou, e nos beijamos loucamente, nossas línguas se entrelaçaram numa batalha de prazer imenso, ficamos assim por longo tempo, numa fissura desproporcional, jamais tinha experimentado tanto prazer em um beijo, quando afastamos a primeira coisa que eu disse foi:
Princesinha, minha gostosa, minha norinha, não agüento mais, preciso-te foder!
Sei que não é certo, mas quero beijar cada pedacinho deste corpo perfeito, preciso chupar tua buceta, quero sentir teu gosto…
Eu também quero meu sogrinho tarado, faça comigo tudo que quiseres, mas, por favor, me faça gozar muito, quero ser tua putinha!!
Com estas palavras quebrou qualquer barreira que pudesse impedir nossa vontade de foder e foder muito, peguei-a no colo e levei para casa, para meu quarto, minha cabeça girava, em meu pensamento, perguntava como uma mulher pode fazer um homem maduro, sentir jovem, viril, sim eu me sentia como um garoto.
Joguei-a literalmente na cama, por alguns momentos parei e fiquei admirando sua beleza, seu corpo jovem macio deitado na minha cama, não conseguia acreditar que aquela mulher jovem, linda, e perfeita, estava ali na minha cama esperando para ser possuída por mim.
Vem sogrinho, vem comer tua putinha, agora que fez sentir tanto tesão, tem que apagar esse fogo que brota de dentro de mim…
Então putinha, vou mostrar o que um homem maduro faz com ninfetinha que provoca sua tara.
É isso mesmo que eu quero, quero ser tratada como uma puta quero que comas com força, que arrobes minha bucetinha sedenta de pica…
Tirei a sunga liberando meu pau, ela olhou para ele, abriu as perninhas, fez sinal com as mãos para eu ir, deitei sobre ela encostei o pau na bucetinha ainda coberta pela minúscula calcinha do biquíni, e nossas bocas se atracaram em um novo beijo guloso, ardente, ficamos beijando por um longo tempo, enquanto isso minha pica roçava a mais macia das bucetinhas, continuei meus beijos pelo pescoço e fui descendo até os peitinhos, tirei a parte de cima do biquíni, seus peitinhos saltaram, os biquinhos durinhos confirmavam que estava muito excitada, abocanhei peitinhos e mamei hora um, hora outro. Jô começou a gemer.
Chupa sogrinho, chupaaaa que ta muiiito goooossstoso
Continuei, fui descendo, beijei, lambi sua barriguinha, até sentir o cheiro gostoso que vinha da sua bucetinha, lambi a virilha, afastei com a mão a calcinha e passei a língua na bucetinha encharcada, Jô gemeu alto, então puxei sua calcinha deixando minha nora peladinha, me afastei para apreciar sua bucetinha, e constatei, o quanto era gostosa aquela bucetinha, lizinha como de uma criança, seus lábios eram gordinhos, não resisti e cai de boca, lambendo toda extensão, sugando seu liquido, sentindo seu cheiro, minha putinha se contorcia de prazer, parei, novamente me afastei para apreciar aquele corpo maravilhoso, peguei seu pesinho beijei, chupei cada dedinho, fui subindo, beijando, passei pelo seu joelhinho, beijei e lambi suas cochas, sua virilha, e novamente lambi sua bucetinha em toda sua extensão, ela gemeu alto, puxou minha cabeça de encontro a sua bucetinha…
Chupaaa, chuuuupaaaaa, seu filha da puta, gostoso, quero gozar na tua boca, não paraaaa, chupa gostosoooo, chupaaaaaa…
Continuei a chupar aquela bucetinha macia, cheirosa, eu tinha que fazer e queria que gozasse na minha boca, queria sentir seu gosto, fazê-la sentir prazer, muito prazer, então ela fechou suas cochas apertando minha cabeça, levantou sua bucetinha, vindo de encontro a minha boca, apertou mais ainda com as mãos minha cabeça contra aquela buceta encharcada, se contorceu, e gozou, gozou muito, um gozo demorado, gemendo alto…
Sogrinhoooooo seuuuu filho da putaaaaaa, taradooooo, to gozzzzaaaando muitooooo, muitooooo gostooosooooo, não paaarraaa
Quando ela parou de se contorcer e relaxou, continuei a lamber, lambia toda sua buceta, sugava o liquido gostoso do seu gozo, fiquei ali até que ela delicadamente puxou minha cabeça.
Vem aqui sogrinho gostoso, me beija quero também sentir meu gosto, quero sentir o gosto do maior e melhor orgasmo que senti com alguém me chupando, nunca alguém me fez gozar assim chupando, eu adorei…
E nos beijamos longamente… Ficamos por alguns minutos deitados em silêncio, descansando. Então Jô falou.
Nato, agora é minha vez de te fazer gozar! Quero que meu sogrinho tarado, que acabou de fazer sua norinha gozar muito, sinta o mesmo!
Ela deitou-se sobre mim, beijou-me na boca, roçou sua buceta em meu pau ainda duro, e foi descendo, me beijando o peito, a barriga, até chegar ao pau, ali beijou o saco, lambeu toda extensão do pau e chegando à cabeça beijou e em seguida chupou, fui às nuvens, que boquinha deliciosa, eu apreciando e sentindo um boquete feito com muito carinho, ela masturbava e chupava ao mesmo tempo, me levando ao delírio, ficou assim por muito tempo até que eu pedi para parar, se não parasse eu gozaria com certeza na sua boquinha, eu não queria naquele momento gozar na boquinha, eu queria era comer aquela bucetinha macia que há muito tempo vinha sonhado, então pedi a ela.
Para lindinha, para, minha putinha gostosa, para porque quero comer tua bucetinha… Deixa comer tua bucetinha deixa?
Tu é um tarado mesmo, né! Um sem vergonha que quer comer a bucetinha da norinha!
Mas claro que a norinha putinha vai dar e bucetinha prá ti sogrinho, e quero que comas ela sem piedade, quero ser arrombada, e que tu gozes muito dentro dela…
Então ela deitou-se de barriga prá cima, e abriu as perninhas me oferecendo sua bucetinha, olhei para aquela mulher linda, deitada esperando para ser comida por mim, não acreditava, meu sonho iria se concretizar… Meu pau doía de tão duro, a muito tempo não tinha uma ereção como aquela, era muito tesão que estava sentido… então segurei em sua cochas e minha boca foi novamente em direção daquela buceta linda e macia totalmente lizinha, lambi em toda sua extensão, chupei seu grelinho, queria que ela ficasse novamente com muito tesão, fiquei ali por alguns minutos, e em seguida me levantei e pincelei meu pau em sua buceta gostosa, pela primeira vez senti o calor que vinha dela, bati com a cabeça do pau em seu grelinho por varias vezes, e em seguida, apontei a pica na entrada da grutinha, forcei, a cabeça do meu pau abriu seus grandes lábios e penetrei apenas a cabeça, ela suspirou, então com o dedo da mão comecei a masturbar seu grelinho, ela gemeu alto, continuei a masturbá-la até que ela me implorou… Empurra essa pica logo seu filho da puta do caralho, quero sentir dentro de mim, arromba essa buceta, vaiii sogrinhooooo, taradooooo… Sentindo que ela esta em ponto de bala, que iria gozar mais uma vez, estoquei forte penetrando de uma só vez aquela buceta encharcada de tanto tesão, meu pau entrou todo, meu saco bateu em sua bunda, senti o fogo que aquela mulher tinha, sua buceta era muito quente, comecei a estocar lentamente, ela gemia gostosamente, seus gemidos aumentavam ainda mais meu tesão, tirei meu pau para não gozar, chupei novamente a buceta, ela me pediu novamente…. Põe esse caralho em mim e soca seu puto, eu quero gozar com ele dentro de mim, vai sogrinho por favor me fode… Novamente pincelei me pau em sua buceta, bati com a cabeça, e empurrei até o talo, ela gemeu alto, comecei a bombar rápido, que coisa gostosa, que buceta maravilhosa, minha boca foi de encontro a dela e nos beijamos descontroladamente, um parecia que queria engolir o outro, não parei de estocar com toda minha força aquela buceta, ela começou agritar… não parraaaa sogrinnnhoooo, mais foooorteeeee, meee arrrommmbaaaa todaaaaa, euuu vouuu gozzzzaaarrrr, gooosssaaaa comigoooooo, me encheeee de porrrraaaa… Eu tammmbeeeeem vou gozzzaaaarrr, putaaaa do caralhoooo, minhaaaa norinhaaaaa gostosaaaaa… E gozamos juntos, seu corpo entrou em convulsões, suas pernas entre laçaram meu corpo e suas unhas cravaram em minhas costa, ela se contorceu, jogou seu ventre de encontro ao meu pau para engoli-lo o mais possível, enquanto eu estocava fundo e jorrava meu esperma, enchendo sua buceta. Foi maravilhoso, há muito tempo eu não fodia assim, com tanto tesão e virilidade.
Depois deste dia nossas vidas mudou, e para melhor, tenho minha norinha sempre que possível, é nosso segredo…

Sexo por Telefone

Uma resposta para “Resisti mas acabei comendo minha nora safada”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *