Fui putinha do casal de vizinhos

Olá meus amores. Me chamo Lili e venho para contar mais uma de minhas aventuras. Para quem não me conhece ainda, sou branquinha, tenho cabelos pretinhos, olhos castanhos, 1, 69 de altura e atualmente 63kg. Como alguns já sabem, sou bem safadinha e viciada em sexo.

Disk Sexo

Tudo começou quando um casal se mudou para o apartamento abaixo do meu. O marido se chama Alessandro e tem uns 40 anos, já a esposa se chama Renata e tem uns 35 anos. Ele é alto, tem a cabeça raspada, magro com uma pequena barriguinha. Já ela, é negra um pouco mais baixa do que eu, tem um corpo maravilhoso com uma bunda bem empinada e um peito um pouco menor do que o meu, um cabelo lindo cacheado e bem pretinho e um sorriso espetacular.

Eu os vi se mudando, mas ainda não tinha conversado com eles pessoalmente. A primeira vez que nos falamos foi quando nos encontramos no estacionamento. Eu apenas os cumprimentei por educação, mas Renata puxou assunto me perguntando se era eu que morava na cobertura. Quando respondi que sim ela ficou falando de como queria ter alugado uma cobertura, mas que os preços dos alugueis estavam fora do orçamento dela. Quando falei que a cobertura na verdade era minha e não alugada, ela ficou super empolgada em conhecer. Apesar de não ser muito de levar vizinhos na minha casa, achei Renata bem simpática, apesar de um pouco inconveniente as vezes e acabei convidando o casal para conhecer.

Já no elevador eu percebi umas olhadas de Alessandro para meu corpo, principalmente para meu decote. Mas ignorei, afinal, homens né. Eles ficaram alguns minutos no meu apartamento e Renata parecia maravilhada com tudo. Lembrava uma criança em uma loja de brinquedos. O que era um pouco engraçado.

Depois disso passei a ter uma amizade com o casal. Eles me convidaram várias vezes para ir no apartamento deles e eu os convidei para vir no meu. Alessandro continuava me secando sempre que podia, mas eu continuava a ignorar. Apesar de sua falta de discrição ao olhar meu corpo ele era um cara legal e sua esposa também.

Depois de alguns meses assim, finalmente chegou o dia onde tudo aconteceu. Era um dia bem quente e como Renata era doida para entrar na minha piscina, achei que era um dia perfeito para convidá-la até meu apartamento. Liguei para ela e disse para ela subir. Em seguida fui até meu quarto e coloquei um biquini novo que ainda não tinha usado. Era simples, totalmente vermelho.

Minutos depois, ela chegou. Estava com uma saia azul claro e a parte de cima do biquini branco que constratava bem com sua pele preta. Seu marido veio em seguida, estava com uma camiseta preta e uma bermuda branca.

Renata não esperou muito tempo e rapidamente foi em direção à piscina que fica na área externa. Tirou a saia, revelando a parte debaixo do biquini e mostrando sua maravilhosa bunda e em seguida pulou na água.

– Ela adora piscina. – Disse Alessandro para justificar a atitude da esposa enquanto olhava fixamente para meu peito. Eu apenas sorri em resposta e perguntei se ele queria beber algo. Ele respondeu que sim e fui até a cozinha pegar uma cerveja.

Enquanto eu me afastava, percebi que ele me acompanhava com olhar fixo na minha bunda. Ao entrar na cozinha e abrir a geladeira tive que me abaixar um pouco para alcançar a lata que ficava na parte mais baixa. Neste momento ouvi um sorrisinho de Alessandro.

Quando me virei pra entregar a lata ele já estava pertinho de mim. Em seguida ele tocou na minha cintura e foi me encostando na porta da geladeira.

– Para com isso, sua esposa esta…. – Eu tentei protestar, mas ele me calou com um beijo. O gosto da sua boca era delicioso, e seu beijo melhor ainda. Ele me segurou pela cintura e me trouxe para bem pertinho do seu corpo. Sua mão desceu até minha bunda e apertou com vontade.

– Deixa ela brincando na piscina que eu brinco com você. – Ele respondeu ao parar de me beijar. Em seguida, partiu para beijar meu pescoço enquanto continuava a apertar minha bunda. Eu suspirava baixinho falando para ele parar, mas na verdade eu já estava totalmente molhadinha e doida para dar pra ele.

Alessandro baixou seus beijos até meu colo e em seguida puxou a alça do meu biquini deixando meu seio esquerdo exposto. Ele imediatamente o levou até a boca e começou a mamar. Eu sentia meu bico sendo sugado pela sua boca enquanto sua mão deslizava da minha bunda em direção ao centro das minhas pernas. Alessandro introduziu sua mão na minha calcinha e passou a pontinha de um dos dedos na entrada da minha bucetinha.

– Você também está doidinha querendo não é mesmo? – Ele disse ao sentir o quanto eu estava molhada. Não respondi, apenas suspirei quando toda minha pele se arrepiou. Ele puxou a outra alça do biquini deixando meus dois seios pra fora e começou a mamar o outro enquanto enfiava dois dedos na minha buceta. Eu gemia baixinho com o braço direito me segurando na geladeira e o esquerdo tentando encontrar um lugar para largar a lata de cerveja.

Alessandro continuava a mamar meus seios. Ele alternava entre eles como um bebe faminto, enquanto isso ia fazendo um vai e vem com os dedos na minha buceta. Eu já estava ensopada e com tanto tesão que ficava difícil conter meus gemidos de prazer.

– Você não sabe o quanto eu sonhei em mamar esses peitos. – Ele dizia enquanto ia de um peito para o outro chupando.

– Então chupa, pode mamar o tanto que quiser. – Eu respondia em meio aos gemidos. O fato da esposa dele poder aparecer a qualquer momento me enchia ainda mais de tesão.

Quando ele ficou satisfeito em me mamar por alguns minutos ele parou. Me puxou pelo braço e me colocou escorada no balcão da pia da cozinha, de costas para ele. Em seguida ele veio por traz, beijando minha nuca e com as duas mãos nos meus peitos.

– Eu quero te fuder todinha. – Ele disse no meu ouvido.

– Me fode com vontade vai. – Eu respondi.

Ele abaixou a bermuda e a sunga e tirou o pau pra fora. Nem tive tempo de olhar, pois no instante seguinte ele puxou a calcinha do meu biquini de lado e entrou sem dó. Em segundos sua pica estava inteirinha dentro de mim. Não tive tempo nem de protestar a falta do uso da camisinha.

Sem perder tempo, Alessandro começou a bombar com força eu sentia cada estocada violenta que ele dava com uma mistura de prazer e dor. Me segurei na torneira com uma mão e na beirada da bancada com a outra. Eu mordia os lábios para evitar gemer muito alto, mas estava difícil de me conter. Ele me pegava com uma mão na cintura enquanto a outra apertava meu seio direito com vontade. Ele aumentava cada vez mais a velocidade e a força com que me comia. Toda aquela sensação de estar fodendo com o marido da vizinha na cozinha enquanto ela nadava na minha piscina me deixava louca de tesão e não demorou muito para minhas pernas começaram a tremer e o orgasmo a se aproximar. Ao perceber isso, Alessandro começou a meter com ainda mais vontade e quando eu menos esperava senti seu gozo quente me preenchendo por completa. Tentei protestar, mas no mesmo instante minha buceta se entregou e gozou junto, minhas pernas amoleceram e se eu não estivesse segurando na torneira teria caído no chão. Gozei de maneira deliciosa e pela quantidade de porra que jogou ne mim, posso dizer que Alessandro também.

Depois de nos limpar, voltamos para a área da piscina. Renata ainda nadava e se divertia como uma criança na água e nem tinha notado a nossa ausência e muito menos desconfiado do que a gente tinha feito na cozinha. Pelo menos era o que eu achava.

O resto do dia ocorreu bem. Nadamos, conversamos, bebemos e comemos o dia todo. Quando o sol já ia se pondo. Renata já estava bem alterada devido a quantidade de bebida que tinha tomado e confesso que eu também estava mais animada do que o normal.

Quando já era noite. Começamos a conversar e a conversa foi ficando um pouco mais íntima. Falamos sobre as posições que gostamos, das fantasias que temos, de algumas experiências sexuais que tivemos e para minha surpresa, o casal era bem tranquilo em contar sobre as experiencias anteriores que tiveram, sem ficar de ciuminho bobo. Conforme a conversa foi evoluindo Renata me fez uma pergunta que me deixou um pouco desconcertada.

– Já transou com o marido de uma amiga sua? – Ela disse me pegando de surpresa. Eu fiquei sem saber o que responder e com cara de assustada até que os dois começaram rir muito. Eu ri um pouco sem graça e sem entender. Em resposta Renata me surpreendeu com um beijo na boca. Como também gosto de mulher, retribui com um beijo intenso de língua. Rapidamente as coisas foram evoluindo e começamos a nos pegar forte no sofá.

Uma mão aqui e outra ali enquanto Alessandro nos assistia sentado na poltrona. Renata estava por cima de mim enquanto me masturbava e me beijava. Eu gemia toda vez que seus dedos entravam ne mim. Ela me massageava o clitóris com o polegar enquanto me penetrava com outros dois dedos. Eu já estava louca de tesão novamente quando Alessandro se levantou e se sentou no chão ao nosso lado e voltou a acariciar meus seios.

Rapidamente os dois retiraram a parte de cima do meu biquini me deixando apenas com a calcinha. Alessandro passava a mão no meu seio esquerdo enquanto Renata me chupava o seio direito. Renata começou a me beijar na barriga e ir descendo até as minhas coxas. Eu já estava ficando maluca de tesão quando ela puxou minha calcinha de lado e começou a me chupar. Eu gemia e me agarrava ao sofá tentando não me contorcer de prazer.

Alessandro tirou o pau pra fora e eu agora pude ver. Um belo pau lisinho com o corpo veiúdo e a cabeça roxa brilhando. Ele foi punhetando ele bem perto do meu rosto até que me deu para chupar. Eu sugava o pau de Alessandro enquanto Renata enfiava a língua na minha buceta. Ele esticava o braço para tocar meus peitos. Ele era muito tarado nos meus peitos.

Ele praticamente metia a pica na minha boca enquanto sua esposa me fazia um dos melhores orais que já recebi na vida. O tesão que ela me dava com a boca era tanto que não demorei para gozar mais uma vez.

Quando atingi o meu auge de prazer ela parou com a boca toda meladinha do meu mel e sorriu. Me sentei no sofá, com as pernas ainda bambas e fui beijar Renata, sentir meu gostinho em sua boca. Foi beijando-a e a deitando no sofá enquanto a despia do seu biquini. Rapidamente deixei seus seios a mostra. Um belo par de seios com bicos negros e pontudos. Fiquei de 4 beijando-a nos seios e Alessandro aproveitou para vir pro traz de mim e tirar minha calcinha. Em seguida ele começou a passar a cabeça do seu pau na entrada da minha buceta enquanto eu começava a chupar a buceta de sua esposa. Quando eu dei a primeira sugada na buceta de Renata, Alessandro entrou devagar na minha buceta. Ele começou um vai e vem suave dessa vez enquanto eu sugava sua bela esposa. Renata me segurava pela cabeça enquanto rebolava com a buceta na minha boca. Alessandro continuava a meter na minha bucetinha rosada enquanto acariciava meu cuzinho com o polegar.

Renata era docinha, dava vontade de chupar ela cada vez mais. Enquanto eu sugava seu grelinho, seu marido começava a socar mais forte na minha buceta. Quando ele começou a meter com tudo novamente eu gemia tanto que não dava mais conta de chupar. Renta se levantou e foi para traz de mim e deitou-se por baixo. Ela me chupava e lambia as bolas do marido enquanto ele me fodia com vontade. Eu com a cara enterrada no sofá e me segurando nele enquanto recebia as estocadas e Alessandro apenas gemia sem parar. Sentia a língua de Renata no meu grelinho enquanto a pica do seu marido entrava fundo sem do.

Ficamos assim por um tempo até trocarmos de posição. Eu e Renata sentamos uma de frente para a outra com as pernas entrelaçadas de maneira que nossas bucetinhas ficassem roçando uma na outra. Ficamos nos esfregamos enquanto alternadamente choupávamos a pica de Alessandro. Eu mamava um pouco e depois era a vez de Renata, enquanto isso nos esfregávamos, buceta com buceta. Eu já estava pronta para gozar novamente e pelos gemidos e expressões de Renata, ela também. Aumentamos nosso ritmo enquanto chupavamos com vontade a pica de Alessandro. Não demorou muito para nós 3 gozarmos. Eu e Renata uma na buceta da outra e Alessandro jogando todo seu leitinho no nosso rosto e seios.

Deixe um comentário