Pagando um boquete enquanto ele dirigia

Olá vou narrar uma deliciosa história erótica que aconteceu comigo, depois daquela entrevista de emprego louca, o entrevistador me ligou e eu fui admitida na agência. Como eu era uma das meninas novas, eles não davam os trabalhos mais avançados. Logo, meu primeiro afazer foi acompanhar um homem em uma festa, apenas.

Disk Sexo

Vestido preto elegante, batom vermelho sangue, cabelo feito, maquiagem impecável. Lá estava eu aguardando aquele homem no local de encontro marcado.

Ele chegou em um belo carro importado. Saiu, abriu a porta para mim, e fomos até o local da festa. Ele não me dirigiu uma palavra se quer e chegando lá eu o acompanhei enquanto ele se encontrava com outras pessoas, aparentemente todos muito ricos, pessoas de negócios. Ele falava em outras línguas e eu apenas sorria e cumprimentava quem quer que seja.

No fim da festa, retornamos pra fora, onde entramos no carro. Meu trabalho já estava chegando ao fim. Ele dirigia de volta para o local de encontro para me deixar. Sem trocarmos uma só conversa, tudo era misterioso, até que eu olhei para suas pernas. Pude ver seu pênis fazendo volume sob a calça e safada como sou, comecei a salivar imaginando aquela rola em minha boca. Porém isso não fazia parte do contrato.

Mesmo assim, eu disfarçava e olhava novamente, até que, parado no sinal, ele tomou minha mão esquerda e colocou sobre seu pau. Estava duro! Teso como uma pedra! Fiquei acariciando por um tempo e não resisti. Abri o zíper e coloquei seu mastro pra fora. Ele acariciou meu cabelo, como se me puxasse levemente. Desci e fui de encontro ao seu membro duro.

Comecei lambendo e beijando só a cabeça. Deixei toda molhadinha. Coloquei toda na boca e fui descendo, abocanhando o resto. Era grosso e quente. Cheio de veias. Fui subindo e descendo a cabeça enquanto ele voltava a dirigir o carro. Aquele pau pulsava na minha boca e eu babava nele, lambia, mordia, chupava, fazia de tudo.

Comecei a punhetar e ouvir aquele homem urrando gostoso. Voltei a chupar a cabecinha enquanto punhetava com força. Ele fala “vai, sua safada. Me chupa gostoso”. Eu segui naquela dinâmica: punheta com chupada.

Senti aquele caralho inchando e com um urro grosso e gostoso ele despejou toda a sua porra na minha boca. Continuei chupando porque queria beber tudinho, cada gota de gozo tinha que ser minha. Suguei aquele pau até não ter mais nada enquanto ele acariciava minhas costas e cabelo, elogiando meu boquete.

Me levantei e com o dedo ainda bebi o restinho de porra que tinha nos lábios. Quando me dei conta, já estávamos no local onde ele devia me deixar. Ele se despediu e abriu a porta para que eu saísse. Me olhando safadamente, aquele desconhecido foi embora e eu fiquei ali, maravilhada de ter toda aquela pica na minha boca, me enchendo de gozo bem do jeito que eu adoro.

Retornei com o sentimento de que o dever estava mais do que cumprido!

Obrigado por lerem, meus amores.

Beijinhos
Beca!

Deixe um comentário